Notícias Nacionais

Entre os dias 1 e 7 de julho, nos arredores de Aínsa, a cerca de duzentos quilómetros de Barcelona, realizou-se a Conferência sobre Fé e Ciência.

Nesta atividade, a União Portuguesa fez-se representar por um grupo de seis obreiros: quatro professoras (Célia de Abreu, Isabel Cabrita, Marta Machado e Rosa Vara) e dois pastores (José Lagoa e Rui Bastos), com o apoio do Departamento de Educação. Os cerca de 140 participantes deste evento eram oriundos de vários países da nossa Divisão (Espanha, França, Itália, Roménia, Alemanha, Áustria e Suíça) e reuniu estudantes, professores, pastores e outros aficionados do tema das Origens.

Este encontro tinha como objetivo partilhar informações relevantes e atualizadas sobre o debate entre a Evolução e o Criacionismo Bíblico.

O painel de palestrantes estava composto por nomes como Noemi Dúran (responsável do GRI na Divisão Intereuropeia), Leonard Brand, Timothy Standish, Raúl Esperante, professores em Loma Linda, entre outros.

Alguns dos temas abordados foram: fiabilidade do relato bíblico das origens, na perspetiva teológica; evidências científicas a favor da cosmovisão criacionista no campo da biologia, da bioquímica e da genética; análise de dados no campo da geologia e da paleontologia, sob a perspetiva catastrofista; avaliação de conceitos como seleção natural e macroevolução, problemas e inconsistências; análise dos problemas relacionados aos métodos de datação e aos longos períodos de tempo.

Pudemos também, realizar uma série de visitas de campo a lugares de interesse geológico, onde foi possível perceber in loco muitos dos conceitos apresentados nas palestras.

Debaixo de um ambiente de elevado nível espiritual, dirigidos pela reconhecida competência académica dos palestrantes e ambientados na belíssima paisagem dos Pirenéus espanhóis, cada participante teve a oportunidade de experimentar momentos de significativa proximidade com o Criador do Universo.

O sábado passado neste ambiente teve um significado muito especial para nós enquanto cristãos adventistas! O sermão de sábado foi apresentado pelo Pr. Mário Brito, o qual dirigiu aos presentes uma tocante mensagem baseada no texto de Hb. 11:3. Durante a tarde, fizemos um passeio pedestre por um trilho no parque natural do Monte Perdido, local de grande beleza natural.

Generosamente, o Criador providenciou um excelente clima durante toda a semana. A grandiosidade das paisagens montanhosas da região mostrava-nos com eloquência silenciosa a imensidão do poder e sabedoria de Deus!

Sentimos grande alegria pela experiência de termos participado de uma atividade tão agradável em termos espirituais, mas também tão significativa no campo académico, e por isso somos gratos ao Senhor! Cumpre-nos agora partilhar, desta forma e de todas as que nos forem possíveis, o que aprendemos, vivemos e sentimos, testemunhando desta experiência enriquecedora, que cimentou ainda mais a nossa fé no Criador.

Pr. Rui Bastos

Igreja de Setúbal, Capelão CAS e CJAI

---------------------------------------------------------

"Tive o prazer de participar na Conferência Live Creation, onde, num cenário idílico, assistimos a explanações, aulas e debates sobre a Criação. Conseguimos ver de perto sinais geológicos que advêm do dilúvio e aprofundar os conhecimentos bíblicos que nos levam a ser criacionistas. Foi muito bom trocarmos ideias, desenvolver conceitos e aprender noções novas que nos mostram as impressões digitais de Deus neste mundo. Ao aprendermos mais um pouco sobre a Criação ficou a magnífica expetativa de quando serei uma estudante na eternidade e poderei compreender, na totalidade, as maravilhas da Criação.”

Marta Machado

Docente CAS

---------------------------------------------------------

“O lugar da Conferência era lindo, um hotel agradável, com uma vista maravilhosa para o Monte Perdido. Apesar de sermos de nacionalidades diferentes, o ambiente, a partilha da fé e das experiências foi muito boa.

Do meu ponto de vista, as sessões foram muitas e longas, mas aprendi muitas coisas que serão proveitosas para o meu desempenho profissional. O que eu realmente mais gostei foram as saídas de campo. A primeira foi feita a pé, desde o hotel até ao GeoPark, em Aínsa, intitulada “As rochas falam”;ensinou-me alguns conceitos básicos usados ??para descrever do que o nosso Planeta é feito e como funciona e ainda que o estudo da Geologia é relevante para ensinar as origens e a interação da fé com a ciência. A segunda saída foi de dia inteiro, organizada pela Fundação para a Conservação do enorme abutre conhecido como o Quebra Ossos; permitiu-nos observar o comedouro das aves necrófagas de Aínsa, no período da manhã. Durante a tarde, visitámos a localidade de Jánovas onde observámos acumulações ordenadas de conchas “nummulitas” (fóssil), que nos explica a existência do mar lamacento a grande altitude. No sábado, após os serviços de escola sabatina e culto, viajámos de autocarro até ao Vale Pineta, na entrada leste do Parque Nacional Ordesa e Monte Perdido, onde almoçámos e depois subimos os mais de 2000m até às planícies de La Larri, caminhámos por florestas de faias e por quedas de água, com um impressionante pano de fundo da vertiginosa face norte do maciço do Monte Perdido. Foi uma experiência fascinante! A beleza da ciência faz sentido aliada à fé, pois a ciência mostra o céu e a Fé leva ao céu.  Obrigada por me terem proporcionado esta experiência.

Rosa Vara