Notícias Nacionais

Azimute 12.1

Quando jovens universitários e cultos se reúnem para debater questões teológicas, o rumo da conversa só poderia orientar para o Azimute 12.1.

São catorze hoje, mas normalmente chegam às duas dezenas. Em comum têm a matrícula na Universidade de Aveiro. Jovens universitários, eruditos e cansados de conversas de circunstância, procuram aqui algo diferente e a reincidência dos encontros prova que têm encontrado. Todas as segundas-feiras, desde que não estejam em férias escolares, reúnem-se no Centro Universitário Fé e Cultura em Aveiro. 

Hoje o tema base do encontro é a diferença entre o certo e o errado. Usam a sebenta “O Resgate da Verdade” do jornalista brasileiro Michelson Borges. “Em Portugal não encontrámos material para este tipo de encontros entre universitários, precisamos mandar vir do Brasil” explica-nos Fábio Mauro, fundador do Azimute 12.1. Das diferenças entre o certo e o errado, rapidamente se avança para a discussão sobre o pós-modernismo, niilismo e terminam no Dexter. “Afinal de contas, é certo fazer justiça pelas próprias mãos?”, pergunta Joel Kuter, o moderador de serviço.

“Este pequeno grupo foi fundado em 2006, quando um grupo de estudantes adventistas da Universidade de Aveiro se juntou para trocar ideias e motivarem-se uns aos outros. A ideia é sermos para a Universidade como Daniel foi para a Babilónia, quando se mudou para lá”, confidencia-nos Fábio Mauro.

No grupo de hoje está Mónica Oliveira, estudante de psicologia. Foi convidada a vir por uma amiga e nunca tinha ouvido falar da Igreja Adventista. Já é a quinta vez que participa neste grupo e está a gostar. “Há coisas que ainda não entendo, porque tive uma educação católica que pouca importância dava à Bíblia. Mas estou a gostar, prova disso é que poderia deixar de regressar após o primeiro encontro, mas não, continuo a vir e voltarei”, diz-nos com um sorriso nos lábios.

Mas afinal, qual a razão para o nome que atribuíram ao grupo? A resposta está em Eclesiastes 12:1 “Lembra-te também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento.”

By: ad7|news